Espaço do Arquiteto

Novidades
PREFEITURA QUER RESTRINGIR ACESSO AO MINHOCÃO

A Prefeitura Regional da Sé apresentou ao Ministério Público de São Paulo, no dia 10 de fevereiro deste ano, uma proposta para restringir o acesso de pedestres ao Minhocão durante os fins de semana. As novas regras, que ainda não há previsão para serem implementadas, foram aprovadas pelo promotor César Martins, de Habitação e Urbanismo, nos primeiros dias deste mês.

Segundo ele, o uso seria permitido apenas das 15h30 às 19h, aos sábados, e das 10h às 16h, aos domingos. O elevado é fechado atualmente para a circulação de veículos às 15h dos sábados e reabre às 6h30 das segundas-feiras, intervalo em que é usado por pedestres.

"A Prefeitura propôs uma regra, a promotoria concorda com a regra, essa regra foi debatida e estudada. Depois, vamos fazer uma avaliação de eficácia. Os próprios aprimoramentos vão ter de ser feitos na medida que se vai estudando a situação e vendo qual o desempenho que se tem", disse o promotor.

O promotor disse que o plano diretor "previu a possibilidade de desmonte ou criação de um parque, mas ainda há a polêmica sobre se prescindir dele ou não. Como ele ainda é utilizado dessa forma, as regras principais dizem respeito ao uso dele para veículo. E com o não uso de veículos começou a haver um uso espontâneo das pessoas."

"Não é oficial ainda, a prefeitura não fez a implementação, mas a prefeitura deve vir a implantar que será permitido o uso das 15h30 às 19h, aos sábados, e das 10h às 16h, aos domingos. Nos outros horários não será permitido o uso por razões de segurança. Para ter a utilização vai ter de ter alambrados que se evite que as pessoas cheguem até a borda", disse Martins.

Segundo o Ministério Público, a Prefeitura fez um levantamento do uso do Minhocão e "há meses está estudando isso. A promotoria pediu que fossem colocados portões para acesso no Largo Padre Péricles e pela Avenida Angélica. Nas outras não será permitido o acesso. O que eu solicitei é que não seja permitido o comércio ambulante. Há registros de casos de lançamento de cocos contra janelas de moradores e sobre carros. Os abusos acontecem", disse o promotor.

Fonte: G1